Para Verena e meus primos: Fabricio e Monique. Acho que o sítio continua intocado.


     É estranho lembrar. Impossível esquecer. Esquecer infância perdida. Infância nostálgica.  Infância da saudade que mata. Infância do presente. Presente passado.
     Era ser cercada de livros em casa. Nas férias via a imensidão da imaginação. Imaginação completa com música. Música clássica. Depois vê o sítio. Os pássaros entoaram logo sua canção. Sorriso desabrochado no peito. Liberdade. Emoção.
     Eram dois primos e uma irmã.
    Corríamos juntos numa estripulia completa. Soprávamos folhas  e dormíamos, a luz das velas. Velas de dormir cedo. Para despertar com o canto do galo. Aprontar todas. Todas juntos. Em berros estridentes. Lutando contra as forças do mau. Mau dos cachorros perigosos. Cachorros perigosos que foram soltos.
    Para proteger dos estragos sorvíamos leite. Leite salva-guarda do veneno desolado. Desolado de estar numa garrafa de vidro. " Quem mandou mexer naquilo menino?" Dizia repetidas vezes o avô.
    E num dia após o outro, os trovões e as estórias do lobisomem e da caipora manteriam os heróis em casa.
    Era hora de dormir. E um dia acordar.
    Os primos e uma irmã exortaram na infância. Eles apenas ficaram lá. Hoje, cada um seguiu seu estado.    Afinal, os heróis decidiram descansar.


16 Comentários

  1. Até os heróis precisam descansar.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  2. O lado ruim de crescer é perder boa parte do encantamento no olhar.

    * Passando para conhecer teu blog.

    Um beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  3. Nossa, me lembrei de minha infância.
    A fazenda nas férias... os primos... as aventuras... Ah, quanta nostalgia.

    ResponderExcluir
  4. iiiiiiiii acho que eu nao cresci rsrs

    adoreiiiiiii, realmente ficam as saudades de 1 tempo q n se repete

    ResponderExcluir
  5. Pq a gente cresce, né?
    Passou um filme pela minha cabeça agora! ^^

    ;***

    ResponderExcluir
  6. Ah, como é doce, e boa nossa infância, né? Lindo teu sentimento, tua sensibilidade, teu texto. Senti inteirinho. As pessoas se perdem pelo mundão, pelo destino, ao longo do que a gente cresce. Acho que é meio natural, guria. Assim como, se reencontrar e nada tiver mudado. Muito menos o sentimento.
    Um beijão!

    ResponderExcluir
  7. Oi amoree! Adorei sua visita! Seu cantinho é muito lindoo!

    Bjinhos

    Nina

    ResponderExcluir
  8. Como é gostoso ter essas lembranças ainda tão vivas na memória, né? Uma nostalgia tão completa, rica em carinho, alegria, sentimentos e verdade. Mas virar a página para outras histórias é normal, e acontece todos os dias. Mas as memórias nos tocam às vezes, para lembrar que o amor sincero, desse em família, ainda existe dentro da gente.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Ai ai, a infancia....tudo era tão eterno, né!?

    Gosto de vir aqui, da tua permanência em me visitar. eu gosto muito mesmo.

    Um beijo, querida Naia.

    ResponderExcluir
  10. Oiee
    suave.
    perfeito.
    calmante
    lindo demais

    ResponderExcluir
  11. A infância tem seus lados que ficam, se eternizam. Passam mais que lembranças nostálgicas, mas elementos intrínsecos que completam a nossa alma.

    O que seria de nós sem esse passado bonito? Nada...


    Beijos!

    ResponderExcluir