Ela caminhava longe. Longe de tudo. Incluindo a lua. Lua de buracos. Buracos no coração. Porque doeu tanto? Ela não sabia explicar. Explicar para esquecer. Essa seria a fórmula correta. Por isso ela caminhava. Primeiro a ficha que cai da face, derrubava-lhe no obstáculo seguinte. Era a perda. Perda de quem não servia. Doravante, advém o torpor. Ela se via no espelho como um zumbi. Era a morte de transformação. Em que cabia a transformação em dar-lhe outra eu. Eu de pele a descascar. Descascar em renovar. Por fim o sorriso. Aquele que lhe demonstra como o pôr-do-sol nasce para todos. Sem exceção. Em como os passos não eram mais corcundas e sim mais retos como num grande milagre. Milagre este que tudo passa. Uma hora se vêm o caminho certo. Certo para você. Não importa onde ou como. Como de querer. Ou seja, você têm que buscar muito o seu caminho. Caminho do pôr-do-sol.


10 Comentários

  1. Um caminho cheio de luz :)

    Gostei muito, beijinho*

    ResponderExcluir
  2. O caminho do pôr-do-sol não seria o caminho para o fim? Ou para um recomeço? Nossa, fiquei em dúvida agora. rs Mas eu gostei, sincero e profundo.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Tantos pontos numa idéia fixa... O "caminho do pôr-do-sol", o começo e o fim juntos, cada um escolhe qual visão ter...A boa ou a ruim.
    :*

    ResponderExcluir
  4. é, a perda do que não servia :s
    Não era para fazer falta, mas faz!
    Falta que aprendemos a conviver, que depois tbm deixa de existir!
    É, vamos procurar o caminho certo e deixar os embarassos do passado pra trás!
    adorei o texto ! *=*

    ResponderExcluir
  5. Sugiro que comece a colocar seu nome no final dos textos seus... porque??? porque achei este perfeitoooooo
    sei bem o que esta moça está sentindo

    bjxxx!

    ResponderExcluir
  6. Em busca do início de outra noite...

    Muito, muito bom.

    ResponderExcluir